Mara Rosane D. Goulart
Estudante de Arquitetura

Meu nome é Mara Rosane Dias Goulart, tenho 49 anos, sou negra, gaúcha, mãe de três filhos, estudante, diarista e esposa nas horas vagas. Morávamos no interior do RS, onde as oportunidades de estudo e trabalho para meus filhos eram precárias. Estamos desde Fevereiro de 2008 em Florianópolis, mais precisamente nos Ingleses. Esta mudança não fez diferença para a vida deles, mas fez na minha.1
Procurei fazer cursos profissionalizantes e, devido ao meu empenho, o professor Kleicer perguntou se eu tinha vontade de terminar os meus estudos. Na hora respondi que sim mas que não tinha condições de pagar um curso pré-vestibular. Quando abriram inscrições no Integrar o Kleicer me avisou. Treze anos fora das salas de aula, entrei no curso semi-extensivo, de agosto até início dezembro. Foi a primeira vez que eu prestei vestibular e, para a minha surpresa, fui aprovada para o curso de Arquitetura e Urbanismo da universidade pública federal de Santa Catarina (UFSC). Naquele momento de felicidade, pensei: agora minha vida vai ficar mais fácil. Mas não é bem assim. Meu curso é integral, estou no final da 5a fase, os materiais são extremamente caros. Eu não ganho auxílio bolsa estudantil permanente e tampouco conto com ajuda de outras pessoas. Sou voluntária no projeto Quilombola para a construção de moradias habitacionais nas doze comunidades dos quilombos nos quais a universidade está engajada através da Arquitetura e Urbanismo. Trabalho como diarista nos finais de semana para manter as minhas necessidades básicas e custos. Estou com dificuldade de acompanhar a turma porque não possuo um notebook com AutoCad, Sketchup, com uma boa resolução gráfica. Estes equipamentos seriam de grande importância para o meu melhor desempenho no processo acadêmico, pois eu poderia fazer meus projetos também no período em que eu estiver fora da faculdade e nos finais de semana. Gostaria de contar com a ajuda dos padrinhos. Desta forma vou poder dedicar meu tempo para os estudos.