Aline Miguel
Estudante de História

Tenho 22 anos. Trabalho como atendente de telemarketing e moro com meus pais e irmão no bairro Forquilhas em São José. Sou natural de Umuarama-PR. Meus pais vieram para cá em busca de melhores condições de trabalho e conseguiram. Meu pai trabalha como borracheiro e minha
mãe começou a trabalhar recentemente como auxiliar de serviços gerais.
Me formei em 2011 no Ensino Médio, mas sem muitas informações eu não sabia como conquistar uma vaga na universidade, até mesmo para minha família quem fazia algum curso assim eram apenas os ricos.Aline Talvez por isso muitas pessoas não tenham acesso a universidade pública, por falta de informação na própria escola ou em seu cotidiana Em 2012, quando decidi fazer um curso, técnico meu irmão faleceu. Foi a pior época da minha vida, quase entrei em depressão. Nessa confusão toda minha prima ficou sabendo do Integrar através de um antigo professor dela. Ela me inscreveu. sinceramente, eu não acreditava que conseguiria, mas consegui. Minha vida desde que entrei no Integrar tem sido como salto com barras: a cada dia eu tenho que superar meu medo e pular uma. Foi assim para vencer o cansaço de trabalhar o dia inteiro e estudar, foi assim no aprendizado de matemática e física, foi assim com o vestibular, e eu venci todas até aqui. Já no Integrar eu não sabia qual curso escolher, fiquei em dúvida praticamente o ano inteiro entre Moda e História. Por fim escolhi História, pois quero fazer a diferença na vida de alguém. Quero que meus alunos saibam que eles mesmos sendo trabalhadores têm direito a uma educação de qualidade, esse é meu maior desejo. Eu achei que passar no vestibular seria o mais difícil. Me deparei com todos aqueles problemas por não ter tido uma boa educação nos anos interiores, pensei várias vezes em desistir, tentar outro curso, mas eu sou a primeira pessoa da minha família que conquistou o direito de estudar em uma universidade pública, não posso desistir tão fácil. A GESTUS tem um papel fundamental nessa minha permanência, funciona como uma corrente sempre que eu precisei eu ouvi um “eu te ajudo” – isso faz a diferença. Depois de tanto tentar eu enfim consegui ser demitida do meu atual emprego para ter mais tempo de me dedicar aos estudos. Recentemente descobri que estou grávida. Pensei, repensei e pensei novamente e cheguei a mais uma conclusão: essa será mais uma barreira que eu vou ter que atravessar e eu vou conseguir passar como consegui todas até aqui.